CiênciaRenato Sabbatini

Esse é o título de uma revistinha que a Super Interessante publicou na série Sapiens, em novembro de 2007.  Na capa, uma ilustração de uma lâmpada incandescente, considerada a invenção mais importante de todos os tempos (isto é, com um inventor conhecido, pois a mais importante certamente foi a roda). Dentro, uma relação das teorias científicas que, segundo os editores, tiveram maior impacto nos últimos cento e poucos anos.  A seleção de Super tem alguns problemas, na minha opinião.  Fazer listas desse tipo é algo notoriamente difícil. Por que 30 idéias, e não 40, ou 23? E quem escolheu essa lista? Jornalistas? Um comitê de cientistas com representatividade em todas as áreas?

Fazer listas numeradas é um passatempo muito engraçado. Começou, como todo mundo sabe, com os dez mandamentos. Assim, Deus foi logo passando a mensagem subliminar que respeitando esses dez,  as centenas de outros pecados não tinham tanta importância assim. Os rabinos, apavorados com esse deslize do “chefe” foram logo escrevendo o Torá, uma espécie de suplemento da Biblia, que contém tudo, desde que tipo de salsicha os judeus podem comer até os outros pecados que estavam faltando…

Logo no editorial, o editor-chefe explica direitinho o significado de “teoria” para a ciência. Achei ótimo, pois essa é uma das palavras mais mal compreendidas e usadas por leigos e jornalistas. Por exemplo, os opositores de Darwin dizem que é a sua teoria da evolução das espécies pela seleção natural é “só” uma teoria. Tipo assim, é uma idéia inventada, que ainda não foi plenamente comprovada. Ai deixaria de ser uma teoria… Nada mais longe da verdade. Ao contrário: teoria em ciência é um conjunto das melhores explicações para fatos comprovados, e que tem, além disso, poder de previsão de novos fatos. A teoria da relatividade é um bom exemplo, assim como a da evolução.

Dito isso, o que posso falar sobre a seleção de idéias feita pela Super?

No geral, acertou bastante. Idéias poderosas (e realmente revolucionárias) foram listadas e bem explicadas, tais como o Big-Bang, buracos negros, hereditariedade, código genético, evolução, seleção natural, teoria do caos, múltiplas inteligências, teoria da relatividade especial e geral, tectônica de placas e dualidade onda-partícula. Uma idéia é revolucionária quando destrói paradigmas e os substitui por outros, radicalmente novos.

Mas, na ânsia de completar as 30 idéias, algumas escolhas da redação foram duvidosas. A pior de todas, na minha opinião, foi a da teoria de Gaia, feita pelo biólogo inglês James E. Lovelock, nos anos 80. Não é uma teoria científica (é uma hipótese, de que o planeta Terra é, ou funciona como um ser vivo), não é aceita pela ciência, não tem capacidade preditiva, e sua (tentativa) de explicação de fatos conhecidos, como a estabilidade do ambiente terrestre, é um erro monumental. Portanto, não obedece a nenhum dos critérios de seleção que o próprio editor se impôs e definiu! Se quiserem saber mais sobre essa pseudo-teoria praticamente caida no esquecimento, que alguém da redação da Super resolveu ressuscitar, leia o artigo sobre ela na Wikipedia.

Outras teorias da lista da Super são menos polêmicas, mas mesmo assim não merecem um lugar no panteão das idéias que mais iluminaram a ciência. Teoria das cordas, multiversos, energia e matéria escuras, por exemplo. São mais hipóteses  ainda sendo investigadas, do que teorias. Outras, como a simbiogênese, e a hipótese do gene egoísta, não são universalmente aceitas pelos cientistas.

Mas agora, o que causa espanto mesmo  é a ausência de algumas teorias recentes que mudaram profundamente nosso conhecimento e compreensão de fenômenos em algumas áreas. A teoria quimica dos orbitais, elaborada por Linus Pauling, e que revolucionou a Química no século XX. não é sequer mencionada. O mesmo vale para a eletrodinâmica quântica, a tabela periódica dos elementos químicos, o conceito de homeostase orgânica (pelo grande Claude Bernard) e a localização cerebral das funções.

Enfim, mas é dificil mesmo fazer uma lista de somente 30 idéias. Sempre algum chato vai discordar…

Para saber mais